NOTÍCIAS

14/11/2016

Mesmo sem ser, Tacy de Campos ainda é Cássia Eller no single 'Sem ser'

 

Cantora e atriz curitibana, Tacy de Campos queria ser Cássia Eller (1962 – 2001). Pelo timbre da voz e pelos relatos do temperamento arredio, tímido, já era antes da fama. E conseguiu sê-la com projeção nacional ao ser escalada para protagonizar musical sobre a artista carioca que estreou em junho de 2014, na cidade do Rio de Janeiro (RJ), e que continua em turnê Brasil afora neste segundo semestre de 2016. Tacy legitimou e alavancou o espetáculo escrito por Patrícia Andrade por reproduzir em cena com perfeição a alma, o jeito e a voz de Cássia. É que Tacy parece sempre querer ser Cássia sobretudo na vida, fora de cena. Impressão confirmada pela (boa) gravação de Sem ser, lançada em single neste mês de novembro.


Rock de autoria da própria Tacy de Campos, Sem ser perfila na letra personagem (real?) de jeito largadão, desencanado, que bem poderia ser Cássia. Mas que também pode ser a própria Tacy. Alguém que se atrasa para o jantar, esquece as chaves de casa e perde o avião. "Não me leve a mal / Nunca sou do mal / É meu natural / Quase tão normal / Eu erro e acerto infinitamente / Eu erro e acerto indefinidamente / Sem ser...", se expõe Tacy no refrão, introduzido por canto agudo que a distancia, por breve e fugaz momento, do matricial registro vocal de Cássia Eller.


Produzido por Diogo Viola, filho do guitarrista Tony Costa, o single Sem ser foi gravado no estúdio carioca DRS por Gustavo Caldas, mixado por Aurélio Kauffmann e masterizado por Ricardo Garcia na cidade do Rio de Janeiro (RJ). Conduzido pelo toque elétrico do violão de Tacy, o rock ganha peso e o tom incisivo da guitarra (de Diogo Viola) à medida em que a gravação – feita também com os toques da bateria de Mauricio Braga e do baixo de Miguel Dias – avança, reiterando a sensação de que, sim, para o bem e para o mal, Tacy de Campos ainda é Cássia Eller mesmo sem ser...


(Crédito da imagem: capa do single Sem ser, de Tacy de Campos. Design de Rafael Antunes Hernandez. Foto de Camila Mira. Arte de Rafael Sudário)

Fonte: g1.globo.com